Nacodependências

a bigamia dos sentidos...

quarta-feira, agosto 01, 2007

Beatriz e Baltazar

Ela, era uma linda e frágil menina fina de Cascais, tratada com grande luxo e requinte, em ambiente sofisticado.
Ele, era jagoz de corpo e alma; criado, ao Deus dará, por essas praias; habituado a mares de águas duras e às intempéries.
Conheceram-se a um sábado, numa linda tarde de Abril (lá pelo ano de 1992), quando ela embarcara em grande viagem – de camioneta, até à Ericeira.
Foi amor à primeira vista! E resolveram ir a banhos; partilhar a mesma casa.
Mas a tragédia aconteceu…
Habituada a palácios de cristal, Beatriz não resistiu ao habitat do seu amado. Começou a definhar e, certa noite, foi encontrada a boiar, tesinha que nem um carapau, nas águas que, tão apaixonadamente, haviam partilhado!
Desesperado, Baltazar ainda tentou o suicídio – resolveu afogar-se mas, sabe-se lá porquê, não conseguiu (devia nadar mesmo bem!)
Resignado com a sua sorte, Baltazar decidiu enfrentar a vida, mesmo sem a sua adorada Beatriz.
E foi assim que, o belo do Balta, lá conseguiu sobreviver. Foi morar para Sintra, onde se acomodou numa casinha e viveu, por muitos anos, sempre às voltas, às voltas, às voltas…
Morreu já ressequido e branco e, imagine-se… dentro de água!
Partidas do destino…

Desculpa, Peppermint! Foi tudo uma questão de meter água…

2Beetle
Maricotinha

1 Comments:

  • At 11:13 da manhã, Anonymous Peppermint Patty said…

    Tadinho do meu Balta morreu na solidão e acabou no cano mas, resistiu 7 anos no seu aquário redondo. Resistêncoa jagoz tem muito que se lhe diga.....

     

Enviar um comentário

<< Home